segunda-feira, 14 de março de 2011

Biodiversidade em caixas de fósforos: Idéia de empresa do Paraná nos anos 60 que contribuiu para a conservação da natureza no Brasil

Tico-tico-rei (Lanio cucullatus) fotografado na RPPN das Araucárias Gigantes, em Itaiópolis (SC). Clique na imagem para ampliar

Neste último feriadão de carnaval, no dia 05/03/2011, tivemos o prazer de observar e fotografar um casal de tico-tico-rei (Lanio cucullatus) na RPPN das Araucárias Gigantes, em Itaiópolis (SC). O casal estava com filhotes ainda dependentes dos pais para se alimentarem.

Foi uma alegria muito grande ter encontrado pela primeira vez o tico-tico-rei na natureza - e na mata que estamos protegendo - porque se trata de uma ave muito emblemática para mim. Quando era criança, no final da década de 60 e início de 70, eu colecionava caixinhas de fósforos estampadas com desenhos de aves brasileiras. E uma das aves estampadas que me deixou fascinado foi justamente o tico-tico-rei.

Naquela época, não havia outro material que mostrasse a biodiversidade brasileira e essa idéia genial da pequena empresa do interior do Paraná, Cia. de Fósforo Irati, fabricante dos Fósforos Paraná, com certeza foi a responsável, em parte, por eu ter me interessado pela natureza.

O fotógrafo da natureza Rudimar Cipriani, autor dessas fotos espetaculares de aves que a gente vê publicadas em muitos lugares, contou-me que também foi fortemente influenciado por estas caixas de fósforos da Cia. de Fósforo Irati. As fotos da coleção completa, das 24 estampas de aves brasileiras, gentilmente providenciadas pelo Rudimar, seguem abaixo.

Certamente, estas caixas de fósforos despertaram o interesse de muitas pessoas pela defesa da nossa biodiversidade. Pena que o bom exemplo de uma idéia simples mas brilhante dessa empresa do Paraná para popularizar nossa riquíssima biodiversidade não foi seguido por outras empresas brasileiras, que até nos dias atuais, com rarríssimas exceções, ignoram completamente a importância de salvar os remanescentes de Mata Atlântica que ainda abrigam um fabulosa biodiversidade, mas muito ameaçada.

Eu pesquisei na internet para saber o que aconteceu com esta empresa paranaense que deu uma contribuição tão importante para a popularização da biodiversidade da Mata Atlântica e descobri que foi vendida em 2000 para um grupo de investidores estrangeiros e passou a ser denominada Fosforeira Brasileira S.A. No site da empresa eu encontrei a seguinte informação:

“Em 1952 cidadãos de diversos grupos econômicos da cidade de Irati no Estado do Paraná reuniram-se num ambicioso projeto e, no dia 17 de novembro daquele mesmo ano, constituíram a Companhia de Fósforos Irati. Em 1954 as máquinas começaram a girar sob a pressão das caldeiras a vapor e os fósforos de segurança começaram a ser fabricados.”

As 24 estampas de caixas de fósforos temáticas da Cia. de Fósforos Irati (Fósforos Paraná), lançadas na década de 60 que contribuiu para popularizar a biodiversidade brasileira. Clique na imagem para ampliar.

10 comentários:

Sussu,Su,Sue disse...

Olá.Bom dia!Muito educativo o impresso do tico tico nas caixinhas de fósforo.Além de nos agraciar visualmente, é uma forma de se conscientizar de que os emplumadinhos fazem parte deste planeta e devemos respeitá-los.

rudifotografia disse...

Fiquei muito feliz e lisongeado por mencionar meu nome neste maravilhoso artigo por isso quero agradecê-lo. De fato esta coleção de figurinhas foi um marco na minha vida de tal forma que fez desencadear a grande paixão que trago até hoje pela natureza especialmente pelas aves.
Isso vem provar que iniciativas louváveis como esta produzem efeito, seja sensibilizando, conscientizando, despertando o interesse ou simplesmente por levar conhecimento e informação, divulgando nossa biodiversidade, especialmente ao públco infantil.
Apesar de poucos se valerem deste precedente para difundir nossa biodiversidade e estimular a preservação algumas pessoas fazem a sua parte. Exemplo disso é o seu próprio caso, Germano. Lembro-me muito bem de suas fotos de anfíbios estampadas em cartões telefônicos, mais uma idéia notável, digna de aplausos que tenho certeza trouxe bons reultados e que pode e deve ser seguida.

Grande abraço

rudifotografia disse...

Fiquei muito feliz e lisongeado por mencionar meu nome neste maravilhoso artigo por isso quero agradecê-lo. De fato esta coleção de figurinhas foi um marco na minha vida de tal forma que fez desencadear a grande paixão que trago até hoje pela natureza especialmente pelas aves.
Isso vem provar que iniciativas louváveis como esta produzem efeito, seja sensibilizando, conscientizando, despertando o interesse ou simplesmente por levar conhecimento e informação, divulgando nossa biodiversidade, especialmente ao públco infantil.
Apesar de poucos se valerem deste precedente para difundir nossa biodiversidade e estimular a preservação algumas pessoas fazem a sua parte. Exemplo disso é o seu próprio caso, Germano. Lembro-me muito bem de suas fotos de anfíbios estampadas em cartões telefônicos, mais um exemplo notável, digno de aplausos que tenho certeza trouxe bons reultados e que pode e deve ser seguido.

Grande abraço

Mariza disse...

Oi, Germano. É sempre um prazer ler suas matérias, você sempre trazendo informações educativas e agradáveis sobre os seres que nos cercam.
Sou da época dessas caixinhas de fósforos, muito bom relembrá-las.
Abraços.
Mariza

Ministério disse...

Se vacilou na folia, siga o conselho desta amiga: http://bit.ly/dVGkj4 #fiquesabendo

Conheça a Campanha contra a Aids deste Carnaval: www.camisinhaeuvou.com.br
Siga-nos no Twitter e fique por dentro: www.twitter.com/minsaude
Para mais informações: comunicacao@saude.gov.br ou www.formspring.me/minsaude
Obrigado,
Ministério da Saúde

Guilherme Machado disse...

Olá Germano,

Seu artigo me fez recordar o Chocolate Surpresa da Nestle, que também influenciou a relação que tinha com os animais. Acabei tendo uma grande coleção destes cartões que vinham com de animais de várias regiões do Brasil, infelizmente a Nestle também acabou com o Chocolate Surpresa.

Grande abraço,
Guilherme Machado
Curitiba, PR

Teresinha Winter disse...

Eu me lembro dessas caixinha do meu tempo de criança. Eram mesmo muito bonitas. A gente corria pra ver se havia uma diferente da outra, como se fossem aqueles álbuns de figurinhas. Pena que hoje em dia as campanhas sejam só da boca pra fora!!!

eliana disse...

Que legal ler esta reportagem pois nasci em Irati e vivi a época das caixinhas, lindas tanto na estampa quando no tamanho. Lembro muito bem da Fábrica de Fósforos e tenho duas delas que consegui na casa de uma tia que ainda tinha nos seus guardados.
Eliana

RENAN disse...

PARABENS GERMANO por esse trabalho lindo que faz, a natureza devia ser tratada por todos com o mesmo amor que ela nos trata com a sua beleza animal e vegetal. siga o meu blog também renanlive20111@hotmail.com

Vagalumeazul disse...

Eu colecionava estas caixinha, mas com o tempo as perdi. Adorava todas mais era encantada pelo Cardial.390