terça-feira, 11 de agosto de 2009

ESTA AÍ O RESULTADO DO NOSSO PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Mirando no Ambiental e acertando TAMBÉM no social

Alunos e professores da EEB Odir Zanelatto de Itaiópolis (SC) atendidos pelo nosso projeto em 30/11/2001

Temos mais um indicador de resultado do sucesso de nossas ações. No projeto de Educação Ambiental patrocinado pela Fundação O Boticário em 2001 solicitamos autorização para utilizar os recursos no fretamento de ônibus para atender uma escola de Itaiópolis (SC), que fica a 150 km da RPPN Santuário Rã-bugio, em Guaramirim (SC), local das atividades de interpretação de trilha, que já atendeu 22 mil estudantes.

Era uma situação muito especial, pois se tratava da Escola de Educação Básica Odir Zanelatto, do Bairro Lucena, que atende estudantes muito pobres e onde eu estudei. As professoras sempre citam meu exemplo para incentivar os alunos a estudarem para conseguirem a ascensão social, já que sou daquela comunidade. E por ocasião das exposições itinerantes para popularizar os anfíbios, uma professora, com muito interesse pelo tema, insistiu muito para seus alunos conhecerem a RPPN Santuário Rã-bugio.

A Fundação O Boticário atendeu meu pedido e prontamente autorizou. O investimento para atender estes alunos de Itaiópolis foi de R$ 450,00, o que daria para fretar cinco ônibus em Jaraguá do Sul na época, conforme previsto no projeto de educação ambiental que propomos.

Mas foram os R$ 450,00 mais bem investidos até hoje. Foi uma emoção muito grande receber aquela criançada na RPPN Santuário Rã-bugio no dia 30/11/2001. Como foi importante para aquelas crianças fazerem aquela viagem. A alegria delas estampada naqueles rostinhos... não tem preço.

Agora, o fato mais surpreendente: uma das meninas, muito pobre, que está foto acima (indicada com a seta amarela), foi no último domingo visitar minha irmã, que era a diretora da escola na época, para pegar meu e-mail. Minha irmã perguntou: “E daí, o que está inventando da vida?” Ela respondeu: “Ah, estou realizando meu sonho”. E completou: “Sou aluna do curso de engenharia agronômica da Universidade Federal do Paraná”

Está aí o resultado do nosso trabalho! Colecionamos vários casos como este e com um detalhe muito importante: são jovens estudando ou já atuando em várias profissões que se tornaram defensores ferrenhos da conservação da natureza.

2 comentários:

Instituto MARACAJÁ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Instituto MARACAJÁ disse...

Olá Germano,

Gostaria de parabenizar o Instituto Rã-bugio pelo magnífico trabalho que desempenha, e a você pelas belas colunas no Eco, além do trabalho desenvolvido em prol da Mata Atlântica.

Se tiver um tempo, visite também nosso blog (http://blogmaracaja.blogspot.com). Somos uma instituição que tamb´m possui o foco na Mata Atlântica, mas com um direcionamento para a mastofauna.

Grande abraço,
Márcio Motta, MSc
Presidente - Instituto MARACAJÁ