domingo, 21 de abril de 2013

A natureza se revela na Mata Atlântica em Jaraguá do Sul


Irara (Eira barbara) no instante da fuga na copa de uma embaúba onde estava se alimentando dos frutos. A árvore fica em frente do prédio do Centro Interpretativo da Mata Atlântica, em Jaraguá do Sul (SC). Foto tirada em 19/04/2013 por Elza Nishimura Woehl. Clique sobre a imagem para ampliar.

 Enquanto a equipe do Instituto Rã-bugio aguardava a chegava de mais uma turma de estudantes participantes do projeto patrocinado pela WEG apareceu uma irara (Eira barbara), mamífero da Mata Atlântica, que subiu em uma embaúba em frente do prédio do Centro Intepretativo da Mata Atlântica (CIMA) para se alimentar dos frutos desta árvore.

O flagrante foi registrado por Elza Nishimura Woehl por volta das 13 horas da última sexta-feira, dia 19/04/2013. A irara é muito veloz e arisca. Ao perceber a presença de Elza desceu rapidamente da embaúba, instante em que foi fotografada.

Mais tarde, os estudantes tiveram a oportunidade de vê-la cruzando a trilha do CIMA onde são desenvolvidas as atividades de educação ambiental que visa colocar os estudantes em contato com a natureza e para eles aprenderem na prática sobre as riquezas da biodiversidade da Mata Atlântica.

Os mamíferos da Mata Atlântica são difíceis de serem observados porque se tornaram muito raros devido à caça, que infelizmente ainda ocorre, são muito ariscos e a maioria tem hábitos noturnos. Os animais mais mansos e grandes já foram exterminados há muitos anos.

Devido ao desmatamento os animais que escapam são forçados a viverem em áreas cada vez mais reduzidas e fragmentadas, onde encontram muita dificuldade para obter alimento e abrigo para refúgio e reprodução. Estas áreas reduzidas facilitam a ação dos caçadores o que diminui ainda mais as chances de sobrevivência dos animais. Por este motivo as matas preservadas que restam estão ficando vazias.

Informações sobre a irara (Eira barbara) estão no site do Instituto Rã-bugio para Conservação da Biodiversidade. Clique aqui para acessar a página da irara.


8 comentários:

Graciane Pereira disse...

Que bela surpresa, parabéns pelo trabalho.

rodrigoventur disse...

excelente registro da irara, muito difícil de se ver, já presenciei uma a anos atrás na serra de Sertão santana/RS, quando fazia um pedal nas estradas de chão daquela região e ela cruzou a estrada bem na minha frente, mas não consegui fotografa-la. sou fã da caça de imagem como chamo, tenho fotos de tamandua mirim, de jaguatirica cruzando em frente ao meu caiaque entre várias outras.

Carlos Roberto Lopes disse...

Há muitos anos não ouvia falar deste animal, muito bacana esta foto.

Wilson Guesser disse...

Parabéns ao trabalho de vocês, Germano e Elza.

Alam disse...

Muito interessante... e como é bom saber que ainda temos alguns locais fascinantes e protegidos para a perpetuação de algumas espécies.

Mariza disse...

Que lindo animal! Há milênio que não ouço falar sobre uma irara, até achei que a espécie estivesse totalmente extinta.
Que privilégio o da Elza em ter visto e fotografado este belo!Tomara que a fotografada esteja em segurança e consiga reproduzir-se.
Abraços para vocês, Germano e Elza.

La garantía soy yo disse...

Belo registro!

Jesus puro amor disse...

theshParabéns pelo blog.
"Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam.
1 Coríntios 2:9"