terça-feira, 16 de novembro de 2010

Fungos luminescentes da Mata Atlântica: um espetáculo da natureza

Camada de folhas em decomposição (serrapilheira) no chão da floresta que na escuridão da noite exibem o espetáculo inesquecível dos fungos luminescentes, que acendem toda a área revolvida.

No dia 30/10/2010 tivemos uma grande surpresa ao encontrar na RPPN das Araucárias Gigantes, em Itaiópolis (SC), fungos luminescentes. Foi um momento muito mágico para nós saber que na floresta Atlântica de transição (entre Mata Atlântica densa e Mata de Araucárias), a 750 metros de altitude, no alto vale do rio Itajaí ocorre este fascinante ser vivo, que já tivemos a oportunidade de ver no meio da espessa camada de folhas em decomposição (serrapilheira) na floresta da restinga.

A descoberta ocorreu por causa dos anfíbios. Na RPPN das Araucárias Gigantes existem várias lagoas temporárias no meio da floresta que é primária, intacta ainda (nunca houve exploração de madeira). Ambientes íntegros com esses são lugares ideais para se encontrar espécies de anfíbios raras, sensíveis a qualquer tipo de intervenção humana, que não ocorrem em matas secundárias (que já foram desmatadas e regeneraram, mas com grande perda de biodiversidade).

Após uma chuva muito forte do dia anterior, fomos até uma lagoa temporária ao entardecer e ficamos sentados no chão da floresta nas proximidades esperando anoitecer até que os anfíbios começassem a coaxar intensamente. Enquanto aguardávamos na escuridão todas as espécies coaxarem, começamos a mexer na camada de folhas em decomposição e todo o chão em nossa volta começou a acender (emitir luz). Parecia um fenômeno sobrenatural. Ficamos impressionados! Onde a gente revirava a serrapilheira, acendia tudo, ou seja, milhares de pontos minúsculos emitiam luz (branca, meio azulada).

Ficamos devendo uma foto dos fungos luminescentes. Não foi esquecimento, mas a necessidade de aprimorar a técnica de fotografar este fenômeno. Com uma câmera digital equipada com um bom sensor (tipo CMOS) ajustado para o máximo de sensibilidade e fixada em um tripé para longa exposição não será difícil.

Observações como esta nos faz refletir sobre quantas formas de vida fascinantes e desconhecidas existem em nossas matas e poucos se dão conta de que tudo isso está sendo destruído no desmatamento e que esta perda é para sempre.

3 comentários:

DanielBiólogo disse...

Muito legal, fiquei curioso agora, para ver se sai na foto a "luminescência" dos fungos !

Abraços...

Saci disse...

Legal pessoal! Essa bioluminescência que vocês descreveram parece estar restrita ao micélio (parte vegetativa dos fungos), mas algumas espécies tem o cogumelo bioluminescente também! No blog da ULE tem um post que escrevi sobre o que sabemos atualmente sobre a bioluminescência de fungos no Brasil. A Mata Atlântica é recordista em espécies de fungos bioluminescentes, mas a Amazônia tem uma espécie emblemática, que pode estar ameaçada pela construção da rodovia BR-319. Quem tiver interesse segue o link: Único fungo bioluminescente da Amazônia ocorre ao longo da rodovia BR-319

van disse...

oi tou passando pra ressaltar o quanto admiro seu trabalho.todos nós devíamos fazer um pouco do que você faz...
más,sei que o apoio de cada um de nós é muito importante...
bom dia!!!