terça-feira, 22 de abril de 2014

Cogumelo gigante da Mata Atlântica

 
Elza Nishimura Woehl medindo o cogumelo gigante do gênero Phaeolus encontrado na RPPN Corredeiras do Rio Itajaí, em Itaiópolis (SC), no dia 19/04/2014. Clique sobre a imagem para ampliar

A ameaçada Mata Atlântica esconde uma riqueza de biodiversidade impressionante, capaz de surpreender até aqueles que acham já terem conhecido tudo. Apesar da importância deste valioso patrimônio natural, a destruição continua intensa.

A última novidade para nós foi encontrar na RPPN Corredeiras do Rio Itajaí, em Itaiópolis (SC), este cogumelo gigante do gênero Phaeolus mostrado nas imagens, que mede 70 cm de diâmetro e se desenvolveu entre taquaras (espécie de bambu da Mata Atlântica).

O local é de transição entre os ecossistemas Matas de Araucárias e Mata Atlântica densa. A exuberante diversidade de cogumelos da Mata Atlântica da região norte de Santa Catarina que já registramos pode ser vista neste link




O cogumelo gigante apresenta várias prateleiras


Elza Nishimura Woehl mostrando o cogumelo gigante que se desenvolveu entre taquaras (espécie de bambu da Mata Atlântica)
Detalhe mostrando a escala com a medida de 70 cm.

Imagem onde é possível ver a estipe ou talo do cogumelo gigante

Identificação:

Nome científico: Phaeolus sp.

Reino: Fungi
Filo: Basidiomycota
Classe: Basidiomycetes
Subclasse: Agaricomycetidae
Ordem: Polyporales
Família: Polyporaceae

 


Instituto Rã-bugio para Conservação da Biodiversidade
Jaraguá do Sul – Santa Catarina
http://www.ra-bugio.org.br/


Conheça o Centro Interpretativo da Mata Atlântica – Jaraguá do Sul
http://www.ra-bugio.org.br/sede-ra-bugio.php

Acompanhe nosso Projeto de Educação Ambiental nas escolas para salvar a MATA ATLÂNTICA

http://www.ra-bugio.org.br/educacaoambiental.php


3 comentários:

Kurupira disse...

É essa riqueza toda da nossa biodiversa Mata Atlantica que ainda continua a ser exterminada todos os dias no País.....

Mariza disse...

Que lindo! Da largura de uma porta não? Fiquei imaginando aqui o tamanho dessa maravilha ao olhar para a porta do meu quarto que tem exatamente a mesma medida do diâmetro do cogumelo!!!!! Caramba!
Pergunto:após o surgimento e/ou descobrimento desse primeiro espécime é possível que outros se desenvolvam ali na região? Um abraço para você e Elza e parabéns pela ineditismo da descoberta!

Amante da Natureza disse...

Parabéns a Elza e Germano, sempre atentos à biodiversidade da Reserva, devoção e gentileza, um serviço prestado ao nosso planeta!