sexta-feira, 26 de junho de 2009

ATROPELAMENTO DE ANIMAIS SILVESTRES

Com o hábitat cada vez mais fragmentado e reduzido, estradas que cortam estes fragmentos tornam-se uma armadilha fatal para milhares de animais silvestres, alguns ameaçados de extinção, que na luta para sobrevivência tentam atravessá-las.

Esta linda jaguatirica, espécie ameaçada de extinção, foi atropelada e morta, logo após a inauguração da Rodovia do Arroz (SC-413), entre Joinville e Guaramirim (SC), no morro onde fica a RPPN Santuário Rã-bugio

Estradas são importantes para o País, mas precisam ser mais bem planejadas, levando em conta o grande impacto ambiental que causam. Quando é inevitável que cortem áreas preservadas, medidas eficazes deveriam ser tomadas para amenizar o dano.

É importante que sociedade seja esclarecida de que certos animais não cruzam estradas e suas populações ficam isoladas para sempre, podendo ser levado à extinção em poucas décadas.

Um exemplo constatado na Serra do Mar da região norte de Santa Catarina é a anta, o maior mamífero terrestre brasileiro, que só ocorre num dos lados da rodovia que corta a serra Dona Francisca.

A população remanescente, quase extinta pela caça, ocupava uma área bem restrita e ao se expandir nos últimos anos encontrou uma barreira intransponível. Na literatura científica são citados dezenas de outros exemplos, o que é muito preocupante.

Muitos propõem a construção de túneis sob as rodovias como medida mitigadora, acreditando que os bichos terão noção do perigo e disciplina para usar estas passagens.

Porém, não é o que revelam os estudos feitos em muitas rodovias brasileiras, onde se constatou que a melhor solução é a mais simples de todas: controladores eletrônicos de velocidade.

Que chances tem um tamanduá-mirim, lento do jeito que é, ao atravessar um estrada onde os carros trafegam a 140 km por hora? Em Guaramirim, SC, na rodovia BR-280, chegamos a contar 15 tamanduás-mirins atropelados em apenas 3 meses. Na semana passada, encontramos mortos, também nesta rodovia, no mesmo ponto, uma família inteira de guaxinins (mão-pelada), 3 filhotes e dois adultos.

Em 2004, a vítima foi um puma (onça-parda). Estas foram as carcaças que ficaram na pista. E quantos bichos são feridos e vão morrer no meio da mata? E as carcaças que são removidas antes da nossa chegada? Isso dá uma idéia da tragédia que ocorre todas as noites, quando os bichos entram em atividade.

Morte chocante

No dia 09/03 tivemos mais um caso chocante, nas proximidades da RPPN Santuário Rã-bugio, em Guaramirim (SC), numa rodovia recém pavimentada, a SC-413, antiga ligação entre Joinville e Blumenau que fica não muito distante da BR-280.

A vítima desta vez foi um linda jaguatirica, na foto, animal da lista oficial das espécies ameaçadas de extinção. Mesmo ágil e muito veloz, não teve chance alguma diante de um veículo trafegando em alta velocidade na madrugada.

É um fato inegável que alguns mamíferos são doidos para entrarem em qualquer buraco que vêem pela frente e podem usar as passagens subterrâneas. No entanto, um cervídeo (veados) ou um felino (onça, jaguatirica, gato-do-mato) jamais vai encarar essa oferta de ajuda dos humanos.

Além disso, alguns animais têm o hábito de perambular pelas estradas, como é o caso do cachorro-do-mato, ou graxaim.

O que também contribui para mortandade dos bichos nas rodovias é, lamentavelmente, o comportamento de alguns motoristas que intencionalmente usam o carro para matar o animal, caso este já tenha conseguido chegar no acostamento, mesmo correndo o risco de acidente, pois o instinto assassino destes motoristas fala mais alto.

Esta carnificina nas estradas de nosso animais silvestres, patrimônio natural de todos os brasileiros, só pode ser evitada com fiscalização, para conter o abuso dos motoristas. A solução, portanto, está no respeito às leis de trânsito e não necessariamente nos dispendiosos túneis e cercas.

4 comentários:

Mar disse...

É fato Germano. Alguns motoristas
fazem questão de atropelar o animal.
Fiquei indignada certa vez(em 2008) Quando vi um cachorrinho na beira da rua, nem imaginei que o automóvel que vinha a uns 800 mts adiante fosse fazer isso. O sujeito fez questão de ir próximo ao meio fio para pegar o animal com a roda direita. Peguei o animal enquanto ele morria nas minhas mãos. Procurei nos vizinhos, era um dog de familia, começou a choradeira. Ele tinha mania de atravessar a rua para ir na casa da vó...
Não acredito que um dia todos os humanos vão ser seres pensantes, sempre vai haver uma grande maioria ignorante além da vida.

wacon tecnologia disse...

Essas pessoas que atroplema animais vão direto pro ******* ! Coitada da Jaguadirica, devia descobrir quem atropelou ela amarrar e matar também :D

Aline disse...

Ola, achei o teu blog por acaso na internet quando procurava o material para um trabalho, como achei super interessante o texto que você escreveu, tomei a liberdade de indicar a leitura do teu texto no meu blog.
Obrigada!

Meu blog:

http://cantinhoanimal.zip.net/

bjs

Danna

Cris rss Nilsen!!! disse...

Dessa (hoje dia 22/05/2012) vez foi uma onça (ainda não sei se é pintada ou parda)encontrada morta na serra Dona Francisca. A mesma será empalhada!!